Kate Hudson canta Stevie Wonder para Glee. Ouça!

No episódio que vai ao ar nesta quinta-feira, dia 2, a atriz estrela um número com Uptight (Everything Is Alright)

Depois do retorno de Sarah Jessica Parker em Glee é a Cassandra July de Kate Hudson quem vai voltar para encerrar a quarta temporada da série.

Em um episódio só com músicas de Stevie Wonder, a atriz cantará Uptight (Eeverything Is Alright). Quem também volta é Amber Riley, que canta Superstition com Darren Criss e Melissa Benoist.

Ouça as duas canções abaixo!

Fonte: estrelando.com.br

Atores de Glee e Parenthood atuam juntos em Web Therapy.

Darren Criss e Mae Whitman vivem um casal que está há anos em um relacionamento, mas não se conhecem.

Imagine um mundo onde o Blaine de Glee e a Amber de Parenthood mantenham um namoro à longa distância. Pois acredite se quiser, isso aconteceu.

Darren Criss e Mae Whitman participaram de Web Theraphy como um casal que mantém um relacionamento à distância e procuram a ajuda de Fiona para se prepararem para se ver pela primeira vez.

Confira um trecho da participação dos dois abaixo!

 

Fonte: estrelando.com.br

Charice Pempengco, de Glee, assume homossexualidade.

A cantora, que fez uma participação especial na atração, revelou em entrevista que é homossexual.

Charice Pempengco, a cantora que fez uma participação especial no final da segunda temporada de Glee como Sunshine, a principal competidora do grupo oponente ao New Directions, assumiu ser homossexual.

Segundo a People ela contou em entrevista para o programa filipino The Buzz que era homossexual, respondendo às perguntas em filipino, sua língua nativa. Com lágrimas nos olhos ela afirmou:

Eu tenho uma gratidão profunda pelos filipinos porque eles são as pessoas que realmente sabem quem eu sou […] Eu quero dizer para todos que me sinto muito leve  e que posso sair de casa sabendo que não estou escondendo nada. Eu me amo, e por isso posso fazer isso.

 

Fonte: estrelando.com.br

As 101 séries mais bem escritas de todos os tempos: Sopranos lidera lista!

Ao divulgar sua lista com as 101 séries mais bem escritas de todos os tempos, o sindicato dos roteiristas (Writers Guild of America) atesta que a chave para um grande enredo de série é um bom personagem — um princípio que permeia a sua lista final com os maiores seriados de TV.

Na liderança está The Sopranos (Família Soprano), um seriado que teve episódios indo ao ar na televisão americana na década passada, assim como quase metade dos que estão na lista. No entanto, séries de décadas anteriores também estão contempladas.

Imagem

Os seriados foram indicados por meio de votação dos membros do sindicato. Confira a lista completa das 101 séries mais bem escritas da TV:

  • 1. The Sopranos
  • 2. Seinfeld
  • 3. The Twilight Zone (1959)
  • 4. All in the Family
  • 5. M*A*S*H
  • 6. The Mary Tyler Moore Show
  • 7. Mad Men
  • 8. Cheers
  • 9. The Wire
  • 10. The West Wing
  • 11. The Simpsons
  • 12. I Love Lucy
  • 13. Breaking Bad
  • 14. The Dick Van Dyke Show
  • 15. Hill Street Blues
  • 16. Arrested Development
  • 17. The Daily Show with Jon Stewart
  • 18. Six Feet Under
  • 19. Taxi
  • 20. The Larry Sanders Show
  • 21. 30 Rock
  • 22. Friday Night Lights
  • 23. Frasier
  • 24. Friends
  • 25. Saturday Night Live
  • 26. The X-Files
  • 27. Lost
  • 28. ER
  • 29. The Cosby Show
  • 30. Curb Your Enthusiasm
  • 31. The Honeymooners
  • 32. Deadwood
  • 33. Star Trek
  • 34. Modern Family
  • 35. Twin Peaks
  • 36. NYPD Blue
  • 37. The Carol Burnett Show
  • 38. Battlestar Galactica (2005)
  • 39. Sex & The City
  • 40. Game of Thrones
  • 41. (empate) The Bob Newhart Show; Your Show of Shows
  • 43. (empate) Downton Abbey; Law & Order; Thirtysomething
  • 46. (empate) Homicide: Life on the Street; St. Elsewhere
  • 48. Homeland
  • 49. Buffy the Vampire Slayer
  • 50. (empate) The Colbert Report; The Good Wife; The Office (Reino Unido)
  • 53. Northern Exposure
  • 54. The Wonder Years
  • 55. L.A. Law
  • 56. Sesame Street
  • 57. Columbo
  • 58. (empate) Fawlty Towers; The Rockford Files
  • 60. (empate) Freaks and Geeks; Moonlighting
  • 62. Roots
  • 63. (empate) Everybody Loves Raymond; South Park
  • 65. Playhouse 90
  • 66. (empate) Dexter; The Office (EUA)
  • 68. My So-Called Life
  • 69. Golden Girls
  • 70. The Andy Griffith Show
  • 71. (empate) 24; Roseanne; The Shield
  • 74. (empate) House; Murphy Brown
  • 76. (empate) Barney Miller; I, Claudius
  • 78. The Odd Couple
  • 79. (empate)Alfred Hitchcock Presents; Monty Python’s Flying Circus; Star Trek: The Next Generation; Upstairs, Downstairs
  • 83. Get Smart
  • 84. (empate) The Defenders; Gunsmoke
  • 86. (empate) Justified; Sgt. Bilko (The Phil Silvers Show)
  • 88. Band of Brothers
  • 89. Rowan & Martin’s Laugh-In
  • 90. The Prisoner
  • 91. (empate) Absolutely Fabulous (Reino Unido); The Muppet Show
  • 93. Boardwalk Empire
  • 94. Will & Grace
  • 95. Family Ties
  • 96. (empate) Lonesome Dove; Soap
  • 98. (empate) The Fugitive; Late Night with David Letterman; Louie
  • 101. Oz

E você: o que achou da lista?

Fonte: minhaserie.com.br

Matt Smith anuncia sua saída de Doctor Who

Imagem

É oficial! Depois de quatro anos muito bem-sucedidos, Matt Smith, o 11th Doctor, irá deixar a série.

A BBC fez o anúncio oficial hoje às 00:00 (horário de Londres). Matt está confirmado no especial de 50 anos que irá ao ar em novembro e no especial de Natal, depois disso, bye bye Matt Smith.

Ao se pronunciar sobre a saída, Matt disse: “Doctor Who tem sido uma das experiências mais brilhantes para mim como ator e como pessoa, e isso se deve em sua maior parte ao elenco, à equipe e aos fãs da série. Eu sou incrivelmente grato ao elenco e à equipe que trabalharam incansavelmente todos os dias para compreender todos os elementos da série e entregar Doctor Who ao público. Muitos deles se tornaram bons amigos e eu tenho muito orgulho do que nós alcançamos nos últimos quatro anos.”

Ele também não poupou elogios à Steven Moffat, showruner da série: “Tem sido um privilégio e um prazer trabalhar com Steven, ele é um bom amigo e vai continuar a formar um mundo brilhante para o Doctor”.

E claro, também elogiou os fãs da série: “Os fãs de Doctor Who espalhados pelo mundo são únicos; eles se fantasiam, sabem mais sobre a história da série (e especulam mais sobre o futuro da série) de um jeito que eu nunca vi antes, a dedicação deles é notável. Muitíssimo obrigado por terem apoiado minha encarnação do Time Lord, número Onze, que ainda não se foi por completo, eu estarei no aniversário de 50 anos e no especial de Natal.”

Finalizando, ele disse: “Foi uma honra interpretar esse papel, seguir o legado de grandes atores, e pilotar a TARDIS com ‘a ruiva, o nariz e a impossível’ (Amy, Rory e Clara respectivamente). Mas quando você tem que ir, você tem que ir e Trenzalore chama. Obrigado pessoal.”

Steven Moffat, showrunner e produtor executivo, disse: “Todo dia, em cada episódio, em cada momento de correria, Matt Smith me surpreendeu: o jeito que ele dizia uma fala, ou girava em seus calcanhares, ou fazia algo engraçado, ou do nada me fazia chorar, eu simplesmente nunca sabia o que viria em seguida. O Doctor pode ser um palhaço e um herói, muitas vezes ao mesmo tempo, e Matt ambos os desafios de forma magnífica. E ainda melhor que isso, dada a pressão dessa série extraordinária, ele é uma das pessoas mais agradáveis e esforçadas que eu já tive o privilégio de conhecer. Não importava o que jogássemos nele – às vezes literalmente – seu comportamento era sempre digno do Doctor. Mas grandes atores sabem quando é hora de baixar as cortinas, então neste Natal preparem seus corações, quando diremos adeus ao número Onze. Obrigado Matt – gravatas borboleta nunca foram tão legais.”

Agora começa a busca pela mais nova face do Doctor. Quem será o próximo intérprete do mais ilustre dos Time Lords? Seja quem for, terá uma grande responsabilidade, pois irá substituir um dos atores mais talentosos e versáteis da história de Doctor Who. Desde já desejamos boa sorte a ele, quem quer que seja, e uma dica para ele se lembrar quando começar na série: bow ties are cool!

 

Fonte: viciadoemserie.com

Criador do CSI afirma que gostaria de produzir uma versão no Rio

Ao contrário de Marta Kauffman, criadora da série Friends, que declarou que as novelas estão com os dias contados, Zuiker prevê longa vida ao formato.

São Paulo  – “Quero fazer todo mundo ficar rico” – em um português carregado de sotaque, foi este o aviso que o norte-americano Anthony Zuiker, de 44 anos, criador da franquia de séries policiais CSI deu para seus discípulos na passagem pelo Brasil, no final de março, quando veio dar lições aos roteiristas dos canais Globosat.

Antenado, ele sabia que a lei 12.485, que obriga canais pagos a exibiram produções nacionais, está mexendo com o mercado. “Tem algo de especial acontecendo aqui. O governo brasileiro tem visão de fortalecer a TV paga. Isso é um presente que fará diretores, roteiristas e produtores a criarem um nível de histórias que será um cartão postal para o mundo, além de capturar o que há de bom nos brasileiros, Tudo isso será mostrado do ponto de vista do Brasil e o mundo vai entender”, disse, em conversa com o Estado.

Ao contrário de Marta Kauffman, criadora da série Friends, que declarou que as novelas estão com os dias contados, Zuiker prevê longa vida ao formato. “A novela é um componente importante que não pode ser desfeito, tem de ser respeitada. Elas vão elevar os níveis dos roteiros que estamos fazendo. Todo mundo que criar programas no futuro deverá tudo às novelas”, sentencia.

Fã de caipirinha, ele não descarta fazer um CSI Rio. “Eu, particularmente, tenho muito interesse em coproduzir isso com alguma empresa brasileira. Quando saí da churrascaria, vi pela janela os aviões, o mar, as pessoas em barcos e pensei: é como CSI Miami, mas é o Rio. Sinto que aqui é um lugar do mundo em que todos deveriam conhecer. Mal posso esperar para ver o que os autores poderiam criar sobre isso.”

Cidade de Deus é a primeira produção brasileira que lhe vem à cabeça. Ele, porém, avalia que a versão nacional do CSI teria outro enfoque. “Em 24 episódio de um programa sobre crimes no Rio, o tráfico estaria em só um. Como produtor executivo, o que menos faria em um programa desses no Brasil seria falar sobre traficantes de drogas. O Brasil não é só o tráfico de drogas, há cultura rica, paixão, arte, suas pessoas, a comida e a caipirinha. Não queremos mandar a mensagem de que o Brasil é um lugar de traficantes. Todos os países têm problemas com o tráfico”, defende.

Recentemente, Zuiker produziu nos EUA o reality Whodunnit? (Quem Fez Isso? em livre tradução) em que pessoas comuns desvendam crimes no estilo CSI. “É o ponto de vista de um cidadão comum, não de um especialista. É interessante ver uma dona de casa sem experiência nisso, mas tem instintos. No final, vão descobrir que há um assassino no grupo.”

Antes de emplacar a série de sucesso, Zuiker trabalhava como condutor do trem de um hotel em Las Vegas, onde cresceu. Ao vender por US$ 35 mil o roteiro de Aposta Mortal (1999) e ver que um produtor o revendeu por US$ 1 milhão, ele continuou na luta e criou CSI após ver um programa sobre investigações no Discovery Channel.

Anthony Zuiker recomenda aos roteiristas iniciantes criar em grupo. “Não trabalhe sozinho achando que é o único com ideias na cidade. Minha confiança é abalada o tempo todo. Todos os dias tento ser brilhante. Às vezes, consigo, às vezes, não. Se você não aceitar colaboração, não vai conseguir fazer. A regra é: não compita, é ruim para o negócio”, ensina.

Conheça as séries indicadas ao Critics’ Choice TV Awards 2013

A lista com as séries indicadas para a 3ª edição do Critics’ Choice TV Awards foi anunciada pela Broadcast Television Journalists Association (BTJA). O evento acontecerá em Los Angeles no dia 10 de junho e terá Retta (série “Parks and Recreation”) como mestre de cerimônia. Apesar de novata, a premiação dos críticos televisivos tem chamado a atenção por ser mais antenado que o Emmy e o Globo de Ouro, “acertando” as premiações em seus primeiros dois anos.

Dentre os canais com maior número de indicações está a HBO, com 21 nomeações, seguido pelo FX, com 19. As séries “The Big Bang Theory” e “American Horror Story: Asylum” lideram a lista dos indicados, com seis nomeações cada.

 

 

 

 

 

 

 

 

Indicados ao Critics’ Choice TV Awards 2013

Melhor Série de Comédia
“The Big Bang Theory”
“Louie”
“The Middle”
“New Girl”
“Parks and Recreation”
“Veep”

Melhor Ator em Série de Comédia
Don Cheadle (“House of Lies”)
Louis C.K. (“Louie”)
Jake Johnson (“New Girl”)
Jim Parsons (“The Big Bang Theory”)
Adam Scott (“Parks and Recreation”)
Jeremy Sisto (“Suburgatory”)

Melhor Atriz em Série de Comédia
Laura Dern (“Enlightened”)
Zooey Deschanel (“New Girl”)
Lena Dunham (“Girls”)
Sutton Foster (“Bunheads”)
Julia Louis-Dreyfus (“Veep”)
Amy Poehler (“Parks and Recreation”)

Melhor Ator Coadjunvante em Série de Comédia
Max Greenfield (“New Girl”)
Simon Helberg (“The Big Bang Theory”)
Alex Karpovsky (“Girls”)
Adam Pally (“Happy Endings”)
Chris Pratt (“Parks and Recreation”)
Danny Pudi (“Community”)

Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Comédia
Carly Chaikin (“Suburgatory”)
Kaley Cuoco (“The Big Bang Theory”)
Sarah Hyland (“Modern Family”)
Melissa Rauch (“The Big Bang Theory”)
Eden Sher (“The Middle”)
Casey Wilson (“Happy Endings”)

Melhor Ator/Atriz Convidado(a) em Série de Comédia
Melissa Leo (“Louie”)
David Lynch (“Louie”)
Bob Newhart (“The Big Bang Theory”)
Patton Oswalt (“Parks and Recreation”)
Molly Shannon (“Enlightened”)
Patrick Wilson (“Girls”)

Melhor Série de Drama
“The Americans”
“Breaking Bad”
“Downton Abbey”
“Game of Thrones”
“The Good Wife”
“Homeland”

Melhor Ator em Série de Drama
Bryan Cranston (“Breaking Bad”)
Damian Lewis (“Homeland”)
Andrew Lincoln (“The Walking Dead”)
Timothy Olyphant (“Justified”)
Matthew Rhys (“The Americans”)
Kevin Spacey (“House of Cards”)

Melhor Atriz em Série de Drama
Claire Danes (“Homeland”)
Vera Farmiga (“Bates Motel”)
Julianna Margulies (“The Good Wife”)
Tatiana Maslany (“Orphan Black”)
Elisabeth Moss (“Mad Men”)
Keri Russell (“The Americans”)

Melhor Ator Coadjuvante em Série de Drama
Jonathan Banks (“Breaking Bad”)
Nikolaj Coster-Waldau (“Game of Thrones”)
Michael Cudlitz (“Southland”)
Noah Emmerich (“The Americans”)
Walton Goggins (“Justified”)
Corey Stoll (“House of Cards”)

Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Drama
Jennifer Carpenter (“Dexter”)
Emilia Clarke (“Game of Thrones”)
Anna Gunn (“Breaking Bad”)
Regina King (“Southland”)
Monica Potter (“Parenthood”)
Abigail Spencer (“Rectify”)

Melhor Ator/Atriz Convidado(a) em Série de Drama
Jim Beaver (“Justified”)
Jane Fonda (“The Newsroom”)
Martha Plimpton (“The Good Wife”)
Carrie Preston (“The Good Wife”)
Diana Rigg (“Game of Thrones”)
Jimmy Smits (“Sons of Anarchy”)

Melhor Telefilme ou Minissérie
“American Horror Story: Asylum”
“Behind the Candelabra”
“The Crimson Petal and the White”
“The Hour”
“Political Animals”
“Top of the Lake”

Melhor Ator em Telefilme ou Minissérie
Benedict Cumberbatch (“Parade’s End”)
Matt Damon (“Behind the Candelabra”)
Michael Douglas (“Behind the Candelabra”)
Toby Jones (“The Girl”)
Al Pacino (“Phil Spector”)
Dominic West (“The Hour”)

Melhor Atriz em Telefilme ou Minissérie
Angela Bassett (“Betty & Coretta”)
Romola Garai (“The Hour”)
Rebecca Hall (“Parade’s End”)
Jessica Lange (“American Horror Story: Asylum”)
Elisabeth Moss (“Top of the Lake”)
Sigourney Weaver (“Political Animals”)

Melhor Ator Coadjuvante em Telefilme ou Missérie
James Cromwell (“American Horror Story: Asylum”)
Peter Mullan (“Top of the Lake”)
Zachary Quinto (“American Horror Story: Asylum”)
Sebastian Stan (“Political Animals”)
David Wenham (“Top of the Lake”)
Thomas M. Wright (“Top of the Lake”)

Melhor Atriz Coadjuvante em Telefilme ou Minissérie
Ellen Burstyn (“Political Animals”)
Sienna Miller (“The Girl”)
Sarah Paulson (“American Horror Story: Asylum”)
Lily Rabe (“American Horror Story: Asylum”)
Imelda Staunton (“The Girl”)
Alfre Woodard (“Steel Magnolias”)

Melhor Reality Show
“Duck Dynasty”
“The Moment”
“Pawn Stars”
“Push Girls”
“Small Town Security”
“Wild Things with Dominic Monaghan”

Melhor Reality Show de Competição
“Chopped”
“Face Off”
“Shark Tank”
“So You Think You Can Dance”
“Survivor”
“The Voice”

Melhor Apresentador de Reality Show
Tom Bergeron (“Dancing With the Stars”)
Cat Deeley (“So You Think You Can Dance”)
Gordon Ramsay (“Hell’s Kitchen”/“Masterchef”)
RuPaul (“RuPaul’s Drag Race”)
Ryan Seacrest (“American Idol”)
Kurt Warner (“The Moment”)

Melhor Talk Show
“Conan”
“The Daily Show with Jon Stewart”
“The Ellen DeGeneres Show”
“Jimmy Kimmel Live!”
“Late Night with Jimmy Fallon”
“Marie”

Melhor Série de Animação
“Adventure Time”
“Archer”
“Phineas and Ferb”
“Regular Show”
“The Simpsons”
“Star Wars: The Clone Wars”

 

Fonte: http://pipocamoderna.com.br